AlimentaçãoCampo GrandeDestaques

Alimentos e bebidas que jogam a favor de seu organismo durante as badalações do Carnaval.

"O melhor é optar por refeições leves, com todos os nutrientes", afirma nutricionista

Depois do “GPS” para uma folia saudável, que a nutricionista Paula Saldanha Tschinkel repassou aos leitores do Correio do Estado na edição do fim de semana passado, confira mais dicas de como se alimentar e sobreviver com saúde à badalação intensa do Carnaval.

Quem gosta de “pular” durante a festa praticamente se prepara para uma maratona. Além de sapatos confortáveis e roupas leves, a alimentação e a hidratação devem ser adequadas para o grande gasto energético decorrente do período.

A alimentação saudável ajuda a manter a energia e a disposição necessárias para aproveitar ao máximo as festividades. Especialistas recomendam uma série de cuidados que ajudam a evitar danos à saúde do folião.

“Costumamos dizer que não tem muito segredo. Fazendo a ingestão regular de água e prestando atenção à alimentação correta, todos poderão aproveitar esses dias de forma segura e tranquila”, adianta a nutricionista e professora da Estácio Anne Silva.

Além da reposição de água no organismo e da cautela na hora de escolher os alimentos para matar ou enganar a fome, o consumo de energéticos também merece atenção redobrada. Acompanhe a seguir.

Alimentação

“Durante as festividades carnavalescas, é comum buscar alimentos mais rápidos, como frituras, saladas com maionese ou produtos ultraprocessados ou que passam por uma longa manipulação, mas isso é perigoso e pode resultar em uma má digestão, causando algum tipo de desconforto”, afirma Anne Silva.

“Nesse caso, é recomendável consumir alimentos leves e com pouca gordura, priorizando sempre saladas frescas e boas fontes de proteína, como aves, peixes e carne bovina”, diz a nutricionista. Ela sugere ainda a ingestão regular de frutas, como banana e abacate, e alimentos mais leves ao longo do dia.

Geralmente a pessoa está exposta ao sol e ao calor. Portanto, o folião deve consumir carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas e sais minerais, com um aporte de gordura menor, reforça a nutricionista Paloma Popov.

“Se o porcentual de gordura for alto, como o consumo de uma feijoada, pode ocorrer um desconforto gastrointestinal. O melhor é optar por refeições leves, que incluam todos os nutrientes”, destaca Paloma.

“O alimento auxilia o fígado a obter energia para processar o álcool, e, nesse contexto, o carboidrato é a principal fonte energética. A ingestão de frutas cítricas pode ser benéfica, uma vez que são antioxidantes, e alimentos como as oleaginosas são recomendados por conterem vitaminas do complexo B”, completa a médica Luciana Navarrete.

Hidratação

Água é sempre a melhor opção. Água de coco, isotônicos e sucos de fruta são bem-vindos, mas sempre associados à água fresca.

“Os sucos naturais são muito interessantes para proporcionar uma energia de rápida absorção, proveniente dos carboidratos simples extraídos das frutas”, afirma Paloma, que também é professora de Nutrição.

“Para quem planeja ingerir bebidas alcoólicas, a ingestão de água ao longo do dia é essencial e previne, entre outros problemas, uma possível ressaca no dia seguinte. Desse modo, recomenda-se a ingestão de dois a três litros, uma quantidade suficiente para evitar a desidratação do corpo”, recomenda Anne Silva.

“Para metabolizar e eliminar o álcool do nosso organismo, o corpo passa a utilizar água. Junto a isso, o álcool tem o efeito de bloquear um hormônio antidiurético do organismo, chamado vasopressina, o que resulta em desidratação proporcional à quantidade de álcool ingerido. Por isso é tão importante o consumo de água”, afirma Luciana Navarrete.

Confira a coluna Diálogo na íntegra, deste sábado e domingo, 10 e 11 de fevereiro de 2024.

 

Fonte CE.

Redação Gdsnews.

 

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo