Ação JudicialBrasilDestaques

Coronel que estava nos EUA permanece preso após audiência de custódia

A prisão do coronel foi confirmada pela assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal (STF); ele passou por audiência de custódia na manhã de ontem, e permanece preso

O coronel Bernardo Romão Corrêa Netto foi preso na madrugada deste domingo, 11, em Brasília ao desembarcar dos Estados Unidos. Corrêa Netto era alvo de um mandado de prisão preventiva por supostamente fazer parte de uma articulação para dar um golpe de Estado e evitar a posse de Luiz Inácio Lula da Silva.

A prisão do coronel foi confirmada pela assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal (STF). Corrêa Neto já passou por audiência de custódia na manhã deste domingo e permanece preso no Batalhão da Guarda Presidencial.

O coronel foi um dos quatro alvos de mandados de prisão na operação Tempus Veritatis, da Polícia Federal, na última quinta-feira, 8. Ele estava nos EUA e, por isso, não foi preso na ocasião.

Os investigadores encontraram mensagens de Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, com Corrêa Netto que indicam que ele seria um homem de confiança de Cid e executava algumas tarefas que o ex-ajudante de ordens não conseguia.

Na quinta-feira, 8, também foram presos na operação Filipe Martins (ex-assessor da Presidência da República durante o governo Bolsonaro), Marcelo Câmara (coronel da reserva do Exército e assessor de Bolsonaro) e Rafael Martins (tenente-coronel do Exército).

 

Fonte CE.

Redação Gdsnews.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo