Campo GrandeDestaquesFixoSaúde

Prefeitura escala mais profissionais de saúde em Upa após morte de mulher durante atendimento

Família diz que Marcelly foi submetida à longa espera; município se defendeu; coincidentemente, hoje, UPA do Coronel Antonino tem mais gente trabalhando

Apesar da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) pontuar que a morte da assistente social Marcelly Almeida, de 33 anos, não foi uma situação de defasagem no atendimento, foram convocados 48 profissionais de saúde para reforçar o quadro das Upas da Capital.

A convocação foi publicada no Diogrande desta quarta-feira (24). A homologação sai no dia em que Marcelly Almeida será velada.

Todos os convocados foram aprovados em Concurso Público de Provas e Títulos da Sesau. Além de estarem aptos para atender também nas mais de 70 Unidades Básica de Saúde da Família (UBSF), nas sete regiões urbanas e distritos do município. Os profissionais podem ser remanejados para unidades de Rede Especializada, Saúde Mental, Urgência e Emergência “entre outros serviços” da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

Veja a lista de especialidades

1 –  Médico Ortopedista

2 – Enfermeiros

7 –  Farmacêuticos

6 – Técnicos em Radiologia

6 – Técnicos de Enfermagem

8 – Auxiliares de Saúde Bucal

12 – Assistentes de Serviço de Saúde

1 – Fonoaudiólogo

1 – Técnico de Laboratório

Upa Coronel Antonino

Ao ser questionada sobre reforço de profissionais na Upa Coronel Antonino diante das reclamaçõe de demora no atendimento, a Sesau optou por divulgar o novo quadro de convocados.

Ressaltando que todos os profissionais passam por “constante capacitação” e “treinamento de acolhimento, de manejo de procedimentos”. A reportagem questionou quais cursos são oferecidos para a reciclagem dos profissionais, veja a resposta:

“Os profissionais passam por constante capacitação. Treinamentos de acolhimento, de manejo e procedimentos.  O óbito não está relacionado a uma defasagem no quadro funcional da unidade. A escala estava completa, sendo todos os pacientes sendo atendidas em tempo protocolar. Nos últimos três anos, a Sesau convocou mais de 1,4 mil profissionais aprovados em concurso, incluindo médicos e enfermeiros. Hoje, inclusive, houve a publicação da nomeação de mais 48 que serão designados às unidades”.

A Prefeitura classificou o certame realizado em 2019 como “maior concurso da saúde pública de Campo Grande”. E destacou que até o momento 1,4 mil profissionais de saúde foram convocados.

A conselheira tutelar, que atuava no Cotolengo, deixou duas filhas de 11 e 14 anos. A mais velha comemoraria o aniversário no próximo sábado. A tia do marido dela, Marly Lima, chegou a questionar: “quantas Marcelly, quantos Beneditos terão que morrer assim por falta de socorro? Por omissão desse pessoal?”.

Entenda

Marcelly Almeida, de 33 anos, morreu no final da tarde desta terça-feira (23) conforme familiares, a paciente foi “deixada” na ala amarela, da Upa Coronel Antonino, em Campo Grande. Essa teria sido a segunda vez que a mãe de duas meninas recebeu atendimento e o caso dela não foi classificado como prioritário.

O marido Thiago Lopes, 39 anos, levou Marcelly para receber atendimento e conversou com uma funcionária explicando que ela não estava bem como resposta, escutou “espera que vou ao banheiro e já atendo ela” e completou:

“Demorou um pouco [a atendente] voltou e falou: ‘não a ficha dela é amarela. Ela aguenta esperar como qualquer outro’. Ela começou a passar mal, disse ‘minha vista está escurecendo’ eu fui lá e avisei. Depois colocaram ela deitada lá dentro e não me deixaram entrar”, contou o marido.

Ainda, segundo Thiago, pediu a para um enfermeiro conhecido que olhasse por Marcelly. “Daí ele atendeu ela e começou os procedimentos e ela começou a piorar”, relatou o marido.

Em dado momento, enquanto era levada para fazer o raio-x, Thiago perguntou a Marcelly o que estava acontecendo, ela apenas respondeu que não estava se sentindo bem. O marido questionou a equipe médica sobre a situação da companheira e disseram que só teria notícias a partir do horário de visita e antes disso escutou “não tem como você saber”.

“Quatro e meia voltei lá e [o profissional da saúde] disse ‘estou fazendo procedimento aqui, você quer que eu te atenda ou faça o procedimento na sua mulher?'”, disse.

“Não tem como você saber

O marido relatou que levou a esposa na Upa em torno de 13h30, no entanto, ela só recebeu atendimento por volta das 15h. Além de ter circulado no dia anterior em três Upas da Capital.

Após a triagem, por ser colocada na ala amarela, Marcelly ficou esperando enquanto seu estado de saúde foi piorando. “Na triagem a pressão dela 7 por 4. Já estava mal. Começou a escurecer a vista dela, foi quando pedi ajuda de novo. Foi então que eles levaram ela lá para dentro. Isso foi negligência desse posto”, desabafou.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) emitiu nota dizendo que a paciente ao contrário do que relataram os familiares assim que recebeu a cor amarela seguiu diretamente para atendimento médico, tendo ficado em observação. Veja a nota na íntegra:

“A Secretaria Municipal de Saúde  (SESAU) esclarece que a paciente deu entrada na  UPA Coronel Antonino no início da tarde de hoje, passou por classificação e recebeu a cor amarela, sendo encaminhada  diretamente para atendimento médico. Ela permaneceu em observação sendo medicada e monitorado os sinais vitais no setor de estabilização da unidade, e que devido ao rápido agravamento do quadro clínico precisou ser encaminhada para a sala de emergência. Na sala de emergência,  devido à piora do estado clínico, a paciente evoluiu com uma parada cardíaca sendo intermediada pela equipe de emergência porém sem sucesso. A SESAU também informa  que todo os procedimentos aconteceram dentro do tempo protocolar conforme a classificação de risco, e que lamenta o falecimento da paciente e  aguarda o resultados de exames para a elucidação diagnostica”.

 

Fonte CE.

Redação Gdsnews.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo